Pré-venda no site: A Lenda dos Guardiões 5 e Rangers 7

269x400_capa_alendadosguardioes_05_oabalo 269x400_capa_rangers_7_resgatedeerak
Olá, amigos!

Que tal garantir a sua diversão e saber antes de todo mundo as novidades das coleções A Lenda dos Guardiões e Rangers – Ordem dos Arqueiros? A Editora Fundamento iniciou hoje no site a pré-venda de O abalo e Resgate de Erak, as continuações dessas duas séries.

Gostaram da notícia? Então fiquem com trechos dos novos livros. Primeiro, uma parte de O Abalo:

“Era igual.” Esse foi o primeiro pensamento de Eglantine.
“Parece com o velho pinheiro, aquele em que Soren e eu nascemos. O formato da abertura do oco em que nossos pais fizeram seu ninho, um O torto... não era exatamente o mesmo?”
A coruja-de-igreja sabia que era um sonho, mas ele parecia real como nenhum outro que já tivera. Era tão bom que ela não queria que acabasse.
“E se voasse um pouco mais para perto e desse uma espiadinha, será que o interior do ninho também é igual?”, ela se perguntou. Seus pais estariam lá dentro? Ah, fazia uma eternidade que não os via. Soren disse que eles estavam mortos. Ele tinha visto os scrooms do pai e da mãe, os scrooms que eram os espíritos de corujas mortas. Ela detestou ouvir isso. Eglantine se mexeu no sono quando as palavras da terrível conversa invadiram seu sonho.
“Você viu os scrooms deles? Isso quer dizer que eles estão mortos, não é, Soren?”
“Sim, Eglantine, e não podemos fazer nada a respeito.”
Então Crepúsculo acrescentou uma conclusão horrível: “Se está morto, está morto.”
As palavras giravam em volta dela como corvos negros prontos para atacar. “Se está morto, NÃO ESTÁ morto!”, Eglantine gritou de volta no sonho. “Se está morto, NÃO ESTÁ morto.”

E agora um pouquinho de Resgate de Erak:

A sentinela não chegou a ver a figura de roupas escuras que avançava como um fantasma pela noite em direção ao castelo de Araluen. (...)
O posto da sentinela ficava no cordão externo, fora dos muros do imenso castelo, junto da torre sudeste. A água escura do fosso ondulava levemente atrás do homem, fazendo com que a superfície agitada pelo vento refletisse as estrelas e as dividisse em milhares de minúsculos pontos cintilantes de luz. Diante dele, estendia-se uma ampla pastagem em torno do castelo, cuidadosamente tratada, imaculadamente cortada e pontilhada com árvores frutíferas que ofereciam sombra.(...)
O intruso estava andando na direção dela.
O vulto escuro deslizou para as sombras de um pequeno bosque, a quarenta metros do banco, e se jogou de bruços no chão. Dando uma última olhada para avaliar sua posição, rastejou para fora das sombras de rosto abaixado, procurando o abrigo da mesa.(...)
Foram necessários dez minutos para cobrir a distância até a mesa. A poucos metros do objetivo, o vulto ficou paralisado quando o guarda se enrijeceu de repente, como que alertado por algum som ou leve movimento – ou talvez apenas por uma sensação intuitiva de que nem tudo estava bem. Ele se virou e olhou na direção da mesa sem notar o vulto escuro imóvel a poucos metros dela.(...)
Quando a sentinela relaxou de novo, o vulto escuro deslizou pelos últimos metros até o abrigo da mesa. Levantando-se devagar para ficar agachado, o intruso analisou a situação. A sentinela, depois de muito se mexer e bater os pés, tinha se postado a uma distância maior da mesa, mas não o suficiente para evitar problemas.
Havia uma longa tira de couro presa à cintura do intruso. Agora, solta, podia se ver que era um estilingue com uma bolsa de couro macio no centro. Uma pedra lisa e pesada foi colocada na bolsa e o vulto se ergueu um pouco, começou a girar a arma simples em um círculo lento e amplo, usando movimentos mínimos do punho e aumentando a velocidade aos poucos.
A sentinela percebeu o som estranho na noite. (...) Parecia algum tipo de inseto, ele pensou... uma abelha gigante, talvez. Era difícil determinar a origem do som. Então sua mente despertou. Uma das outras sentinelas havia mencionado um som parecido dias antes. Ele tinha dito que era...
PANG!
Um míssil invisível atingiu a ponta de sua lança. A força do impacto fez com que a arma fosse arrancada das mãos descontraídas, jogando-a para longe. (…) O grito de alarme congelou em sua garganta quando o intruso puxou para trás o capuz que escondia longos cabelos loiros.
– Relaxe! Sou só eu – ela disse, o divertimento evidente em sua voz.
Mesmo no escuro, mesmo a trinta metros de distância, a voz risonha e os bonitos cabelos loiros… identificaram …

Ficaram curiosos? Basta conferir o site da Editora Fundamento e aproveitar a pré-venda. O Abalo e Resgate de Erak vão deixar as suas férias ainda melhores! Não perca!