Chegou Century 2! A Estrela de pedra


Oi, pessoal!

Quem curtiu a série Century, que a Fundamento começou a publicar este ano, pode se preparar: o segundo livro, A estrela de pedra, acabou de chegar à nossa loja virtual (CLIQUE AQUI para conferir) e às melhores livrarias. Se você ainda não conhece a coleção, fica a sugestão! A trama conta a história de quatro adolescentes, Elettra, Harvey, Mistral e Sheng, que se encontraram por acaso em Roma e de repente se viram no meio de uma aventura perigosa e emocionante. Com algumas pistas que foram entregues por um misterioso professor, os amigos devem achar uma série de objetos que vão conduzi-los a um segredo antigo e complexo, capaz de mudar completamente a vida na Terra.

Depois da caçada ao Anel de Fogo em Roma, os quatro vão para Nova York em busca de um artefato chamado de Estrela de Pedra. Mas o que esses objetos têm de especial? E por que os quatro foram escolhidos para procurá-los ao redor do mundo? Elettra, Harvey, Mistral e Sheng começaram a fazer descobertas incríveis não apenas sobre o segredo que estão procurando, mas sobre eles mesmos. Além disso, os amigos conquistaram aliados e se deram conta de que terão que lidar com um inimigo muito poderoso, que não vai economizar esforços para destruir os planos deles.

Antes de garantir seu exemplar, confira um trecho de A estrela de pedra aqui no blog. Para mais novidades sobre nossos lançamentos e coleções, siga-nos no Twitter (@Ed_Fundamento) e acompanhe a página da Fundamento no Facebook. Até breve!

Harvey, absorto em seus pensamentos, dirige-se para Grove Court. Tem uma sensação desagradável. Para, escuta, olha para trás. Casacos de lã. Armações de óculos da moda. Joias brilhantes. Roupas pretas. O toc-toc-toc dos sapatos de salto alto. Tenta entender de onde vem
aquela impressão. Uma sombra, acompanhada por dezenas de outras sombras, vira em Bleecker Street. O jovem pensa que está sendo seguido. É absurdo, naturalmente. No entanto, ele não consegue espantar a ideia para longe.
Para na frente da vitrine de uma padaria especializada em tortas salgadas para verificar se alguma pessoa suspeita caminha do outro lado da rua. Mas não vê ninguém.Ou melhor, avista gente demais.
Passa duas vezes na frente do portão da grade que contorna sua casa antes de entrar. Seis casas vermelhas antigas, cujas janelas e portas são pintadas de branco, compartilham um belo jardim.
Sem se voltar, Harvey percorre o caminho debaixo dos galhos nos quais acabam de brotar as primeiras folhas.
Mora na casa número 11. Na frente da porta de entrada, olha para trás uma última vez. O jardim está repleto de sombras que se destacam entre os reflexos das luzes distantes das cafeterias. No alto, o céu ameaça chuva iminente.
– Preciso parar com isso... – murmura Harvey, girando a chave na fechadura. (...)
A porta se abre com um gemido. Uma lâmpada se acende automaticamente e ilumina a escada. Sobe ao segundo e último andar.
Do lado de fora, na calçada, a sombra imponente de um homem é dividida pelas barras metálicas da grade. De vez em quando, ele tira as mãos de dentro dos bolsos de um blusão cinza escuro para apertar uma latinha redonda. Abre-a com delicadeza inesperada para pegar uma bala.
Mastiga-a lentamente. Tem sabor de hortelã. Observa o jardim e o portão pelo qual entrou o rapaz. Em seguida, apanha um bloco e anota o dia, a hora, o endereço.
Põe o caderno de volta no bolso e termina de mastigar a bala. Olha para o relógio. Está quase na hora do jantar. Dá um assobio longo. Um corvo pousa em cima da grade.
– Pode ficar de guarda, Edgar? – pergunta ao animal o homem vestido de cinza.
O pássaro com um olho ferido procura uma posição confortável entre as barras de ferro da grade e se agacha. Como se o gesto fosse uma resposta, o homem se volta, torna a enfiar as mãos nos bolsos e se afasta na escuridão.