Antes que o dia acabe, leia-me!

 

Antes que o dia acabe final_Layout 1

“Antes que o dia acabe, seja feliz!” é um título que motiva e dá vontade de viver o dia imediatamente. O imediato é um meio de ser feliz, somos felizes agora, nesse dia e no lugar em que nos encontramos, espaço físico e introspectivo.

O livro de Ajahn Brahm, inglês que se tornou monge, reúne contos, aqueles textos com um conflito que pode te fazer feliz na leitura de uma sentada, como dizem as regras literárias. Literatura é um sinônimo de felicidade, poder viver as mais variadas e criativas histórias, habitar novos mundos e se descobrir em textos, que fazem parte do cotidiano do leitor, pelo fato de recriar universos na mente daquele que escolhe a felicidade de uma boa leitura.

ollyy/ShutterStock ollyy/ShutterStock

Os ideais budistas estão presentes nessa obra que valoriza viver o presente, o cuidado de si e de todos, a humildade, a paciência, o carma e tantos outros valores e atitudes que parecem estar fora de moda ou para os quais aparentemente vivem em um ‘deslugar’ no mundo.

Diante de tantos pensamentos positivos e otimistas não pense que o texto se torna cansativo. Para uma cultura em que todos perdem a paciência quando as coisas não são rápidas e até mesmo superficiais, as lições de amor, compaixão, aceitação e perdão são contadas de forma descontraída, mas forte o suficiente para provocar reflexões construtivas no seu pensar e caminhar na vida.

Ler é uma aventura de autoconhecimento, antes que o dia acabe, leia essa obra e seja feliz!